in , ,

Demissão em massa às vésperas do Natal e 121 lojas fechadas: Maior varejista se afunda junto com a Casas Bahia

Maior varejista está se afundando junto da Casas Bahia e enfrenta cenário crítico em plena véspera de Natal

Se tem uma frase que define o ano de 2023 para as varejistas é a “O mar não está para peixe”! Desde que o rombo de R$40 bilhões da Americanas veio à tona, milhares de outras varejistas passaram a enfrentar os mais diversos e adversos cenários e crises.

Falando nela, em plena véspera de Natal, a Americanas, considerada a maior varejista do país, mostrou que ainda está em momento delicado e, assim como a Casas Bahia, que também não está em seu melhor momento, parece se afundar cada vez mais.

Só para vocês terem uma breve noção da situação das varejistas, apesar da crise da Americanas comparada as demais ter proporções muito maiores, a Casas Bahia registou o pior terceiro semestre.

Lojas Americanas (Foto: Reprodução / Internet)
Lojas Americanas (Foto: Reprodução / Internet)

De acordo com o portal Brazil Journal, a varejista foi  impactada pelos custos do plano de reestruturação que a empresa apresentou ao mercado em agosto e pela limpeza dos estoques, fechamento de algumas lojas e até demissões.

Mas seu prejuízo líquido foi de R$ 836 milhões, quatro vezes maior que o do mesmo período do ano passado e pior do que as projeções do sellside, que esperava um prejuízo na casa dos R$ 600 milhões.

Casas Bahia precisou fechar lojas e demitir funcionários (Foto: Divulgação)
Casas Bahia enfrentou prejuízos nos último trimestre (Foto Reprodução/Internet)

Paralelo a ela a Americanas, que poderia talvez se reerguer nesse fim de ano com as compras e gastos de fim de ano, teve um desfecho contrário, regado também a demissões, fechamento de lojas e prejuízos.

Efeito reverso

Pois é, no momento em que geralmente as empresas contratam para as vendas de fim de ano, de acordo com o perfil oficial de O Segredo, nas redes sociais, a Americanas executou uma demissão em massa de 5.526 funcionários na semana do dia  27 de novembro a 3 de dezembro.

O que acabou totalizando 33.861 trabalhadores ao final do período, conforme revelado em documento regulatório no dia 07 de dezembro de 2023.

A empresa de varejo ressaltou que as demissões envolviam tanto rescisões voluntárias (306 registros) quanto o término de 4.876 contratos temporários.⁠

Fora isso, só nesse ano de 2023, foram encerradas 121 lojas. De acordo com o portal Pequenas Empresas & Grandes Negócios, da Globo, considerando que a empresa está em recuperação judicial, esse número pode não ser tão expressivo.

Americanas fecha lojas e demite funcionários nesse fim de ano (Foto Reprodução/Internet)
Americanas fecha lojas e demite funcionários nesse fim de ano (Foto Reprodução/Internet)

Porém, de acordo com declarações dadas pelo CEO, Leonardo Coelho Pereira, em entrevista concedida ao portal O Globo, esses fechamentos não tem a ver com questões operacionais e sim financeiras, uma vez que o aluguel encareceu demais e as vendas das regiões afetadas não devem crescer.

Comparando novamente com a Casas Bahia, em agosto de 2023, em meio a sua reestruturação citada acima, ela chegou a anunciar o fechamento de 100 lojas, 21 unidades a menos que a Americanas.

Mas como a Americanas chegou nessa situação?

Como mencionamos acima, após o rombo bilionário da Americanas, vir à tona, a situação começou a degringolar, não apenas para ela, como também para outras varejistas que, assim como ela, estão tentando sobreviver e reduzir danos.

Conforme analistas do mercado financeira alegaram, muitos  fornecedores passaram a diminuir o prazo de pagamento da varejista, uma vez que possuem receios de levar “um calote”,

Se antes o prazo era de até 124 dias, em abril passou para oito dias, ou seja, os fornecedores estão exigindo um pagamento praticamente à vista.

Falando de operação na prática, é praticamente insustentável manter todos os custos a prazos tão pequenos quando falamos de grandes varejistas.

Como um mais um é dois, a companhia acabou tendo um fluxo de caixa extremamente deteriorado, uma vez que ela precisa fazer retiradas muito mais rápidas do que o habitual de 4 meses para pagar.

De acordo com o portal Seu Dinheiro, o escândalo do rombo somados às consequências tidas após isso fazem com que a Americanas se encontre, atualmente, em uma situação bem “fragilizada”.

https://youtu.be/fJu5yV2Hrso?si=bYufCKsjf0NL4smP

The post Demissão em massa às vésperas do Natal e 121 lojas fechadas: Maior varejista se afunda junto com a Casas Bahia appeared first on TV Foco.

Palmeiras e Flamengo esnobados de uma vez: Scarpa aceita R$ 1 milhão por mês e define onde vai jogar em 2024

Comunicado sobre o fim de agências, fim do app e novo serviço: 3 novos anúncios cruciais do Bradesco